Notícias

Dificuldades de comercialização e queda nos preços ofertados pelo arroz, milho e trigo foram temas apresentados pelo deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) ao presidente da República, Michel Temer, durante audiência da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA - na última quinta-feira, 23.

Heinze cobrou do peemedebista a liberação de recursos para mecanismos de apoio a sustentação de preços do arroz. Segundo o parlamentar, com cerca de 30% da safra colhida, o valor ofertado pela saca do grão já é 25% inferior ao praticado no ano passado.  

Os deputados federais Luis Carlos Heinze (PP/RS) e Valdir Colatto (PMDB/SC) se reuniram, nesta quinta-feira, 23 de março, com o Secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Ivandre Montiel, para buscar a liberação de recursos para apoiar a comercialização do arroz.

O produto com cerca de 30% da safra colhida enfrenta uma grave desvalorização no preço pago pela saca, além de mercado muito retraído. De acordo com o deputado Heinze, a intervenção governamental é fundamental neste momento em que o produtor precisa vender parte da produção para quitar os débitos mais urgentes.

O deputado federal Luis Carlos Heinze, juntamente com os deputados Valdir Colatto (PMDB/SC) e Tereza Cristina (PSB/MS), participou, nesta quinta-feira, 13 de março, de reunião com o presidente do Banco Central do Brasil, Ilan Goldfajn. Para tratar do financiamento internacional na produção agrícola brasileira.

No ano passado foram aprovadas alterações na legislação que permite que estrangeiros também inivstam na produção nacional agrícola. No entanto, os investidores internacionais ainda não podem emprestar recursos aos nossos produtores pois ainda permanecem dúvidas sobre a tributação desses recursos. "Esse foi o principal tema de nossa reunião e para esclarecermos esse assunto um novo encontro será marcado, desta vez na Receita Federal" afirma Heinze.

Instituição terá R$ 44 milhões para pagamento de fornecedores, salários e encargos sociais

A Santa Casa de Caridade de Uruguaiana assinou, nesta quarta-feira, 22 de março, contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 44 milhões. Os recursos serão destinados a quitação de empréstimos bancários, débitos com fornecedores, prestadores de serviços, encargos sociais e para regularizar os salários dos mais de 700 funcionários da instituição. Após meses de tratativas do deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS), o convênio foi formalizado em reunião articulada pelo parlamentar com o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi.

O deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) se reuniu na tarde desta terça-feira, 21 de março, com a diretora da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul - FETAG/RS, Elisete Kronbauer Hintz, e com o vereador de São Sepé, Gilvane Moreira (PP), para discutir a aposentadoria rural na reforma da Previdência. Foram debatidas as propostas para que o trabalhador não seja penalizado caso as novas regras sejam aprovadas. De acordo com Heinze, a revisão do atual modelo previdenciário é necessário, porém, a reforma deve atingir os altos salários dos executivo, legislativo e do judiciário e não a grande maioria dos trabalhadores.

Desastrosamente um pequeno grupo de funcionários do Ministério da Agricultura - 33 bandidos em mais de 11 mil pessoas sérias e idôneas - e alguns empresários inescrupulosos comprometeram a credibilidade da pecuária brasileira, além de colocarem em risco a saúde dos consumidores. Tudo o que esperamos, como cidadão, parlamentar e produtor rural, é a mais rápida e correta punição deles.

Por outro lado, a Polícia Federal, Ministério Público e o Judiciário cometeram um grave exagero que pode acabar com as nossas exportações, aumentar o já elevado índice de desemprego e trazer consequências trágicas e imensuráveis para os produtores e para a economia das nossas cidades.

O deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) e representantes do setor tritícola do Rio Grande do Sul e do Paraná se reuniram, nesta quinta-feira, 16 de março, com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, para cobrar políticas de apoio à cultura do trigo para 2017. Na ocasião, os triticultores também reivindicaram medidas para impedir a importação do cereal, que prejudica a produção nacional.

 - Fotos da reunião

De acordo com o deputado Heinze, de agosto do ano passado a fevereiro deste ano, foram comprados, principalmente dos países do Mercosul, cerca de quatro milhões de toneladas de trigo no período que coincidiu com a colheita do cereal nas lavouras brasileiras. “Esse grande volume de importação prejudica o produtor brasileiro. Só no ano passado, estima-se que foram mais de R$ 500 milhões em prejuízos. Por conta disso, até hoje não temos preço para o trigo, que está sendo vendido por volta de R$ 28, com preço mínimo estipulado pelo governo de R$ 38,65 a saca”, reclama Heinze.

O deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS), juntamente com comitiva do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola, Sindag, liderada pelo presidente Júlio Kämpf e composta pelo vice, Nelson Peña e pelo secretário Francisco Dias da Silva, e o diretor-executivo, Gabriel Colle, se reuniram com o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura – SPA/Mapa – Neri Geller, nesta quinta-feira, 16 de março. Em pauta, a necessidade de um programa de financiamento de aeronaves no Brasil.

Sobre isso, a comitiva do Sindag foi informada da expectativa de que o governo federal edite uma Medida Provisória que criaria um novo programa para isso, já que o Programa Moderfrota, que prevê a compra de tratores e maquinários terrestres via Banco Nacional de Desenvolvimento - BNDES - não cita a aviação em suas regras.

Os deputados federais Luis Carlos Heinze (PP/RS), Tereza Cristina (PSB/MS) e Valdir Colatto (PMDB/SC) se reuniram, nesta quinta-feira, 16 de março, com o novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio, para debater temas referentes as demarcaçoes de terras indígenas. Na ocasião, os parlamentarem cobraram a reedição da Portaria 303, que impõe as 19 condicionantes, ratificadas pelo Supremo Tribunal Federal - STF - do caso da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, para todos os outros processos em andamento no país, além da revisão dos estudos de novos territórios pelo Grupo Especializado de Trabalho - GTE. 

A construção das novas pontes internacionais com a Argentina, reformas e concessões de rodovias foram temas de reunião entre os parlamentares da Bancada Gaúcha e o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa. Na última terça-feira, dia 14, em Brasília, técnicos da Pasta apresentaram dados sobre novos empreendimentos no Rio Grande do Sul e esclareceram dúvidas dos senadores, deputados federais e estaduais e prefeitos presentes na audiência.

Na reunião, técnicos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT - detalharam o estudo prévio de viabilidade para a construção das novas travessias internacionais, realizado em 2015, e informaram que, de acordo com o levantamento, os custos dos empreendimentos são elevados. Para o ministro, a resolução para o caso, que é tratado há cerca de 20 anos, deverá ser política.