O deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) está mobilizando lideranças da olivicultura gaúcha para organizar uma reunião nas próximas semanas. A meta é discutir meios de expandir o cultivo da atividade, em especial na metade sul do estado. Na última semana, ele esteve no município de Barra do Ribeiro, onde conversou com o presidente da Tecnoplanta, Osmar Paulo Pereira da Rosa. 

"Precisamos de apoio, pois se trata de uma atividade que, com apenas 5 mil hectares, rende R$ 3,5 bilhões ano ao Brasil", destacou o executivo da conceituada indústria de azeite de oliva do país.

O Brasil hoje importa 100% da azeitona e do azeite de oliva que consome. Meta é obter uma produção capaz de atender a demanda interna, o que resultaria num faturamento médio de R$ 5 bilhões anuais. "Se conseguirmos um excedente capaz de nos cacifar à exportação, então, o céu é o limite", avalia o deputado Heinze.

No ranking mundial de azeites, o azeite de oliva Prosperato, produzidos pela Tecnoplanta, ocupa a posição 85. É considerado ainda o quinto melhor azeite da América Latina e o melhor do país.