O deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) esteve em Bento Gonçalves, na Serra gaúcha, na última sexta-feira, 8 de dezembro. Ele participou da Audiência Pública promovida pelas frentes parlamentares de Defesa e Valorização da Produção Nacional de Uvas, Vinhos, Espumantes e seus Derivados da Câmara dos Deputados e da Vitivinicultura e Fruticultura da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. O debate, cujo tema foi a “comercialização e valorização da qualidade da uva”, fez parte da programação da 2ª Feira de Tecnologia para Viticultura (Tecnovitis).

Com a presença de centenas de pessoas entre produtores rurais, empresários do setor e lideranças políticas e classistas da região Sul do país, o tema principal dos debates foi a revisão do preço mínimo da uva. A expectativa do setor é de que a Conab mantenha a mesma cotação do ano passado - R$ 0,92 para a variedade isabel. “Ainda nesta semana, em Brasília, vamos procurar a Conab e apresentar as reivindicações do setor. O custo de produção já supera esse valor de referência estipulado pelo governo”, afirma Heinze.

A concorrência desleal dos produtos importados do Mercosul também foi evidenciada pelo parlamentar. “O Bloco Econômico tem sido fator negativo, principalmente para o setor do vinho, já que a bebida entra no país de forma muito facilitada. O governo brasileiro precisa fazer alguma coisa para evitar que os produtores sejam ainda mais prejudicados”, disse.

Um documento com as principais preocupações e reivindicações do segmento foi elaborado para ser enviado a presidência da República e aos ministérios, além dos principais órgãos de regulação e fiscalização do setor.

O Sindicato Rural da Serra Gaúcha, Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) foram coorganizadores da audiência.

Veja todas as fotos do encontro em: https://goo.gl/sAUM18