O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, anunciou nesta tarde, na presença dos deputados federais Luis Carlos Heinze (PP/RS) e Valdir Colatto (PMDB/SC) e do secretário de Política Agrícola, Neri Geller, a prorrogação das parcelas de custeios do arroz e medidas de apoio a comercialização da maçã.

Com a decisão, o valor que deveria ser pago em julho pelos orizicultores passará para setembro e a parcela de agosto será alongada para outubro. Para efetivação da medida, o produtor deverá se apresentar ao Banco do Brasil, antes do vencimento da primeira parcela, com documentação representativa do produto depositado em armazém.

- Assista em vídeo: Ministro Blairo Maggi e deputado Heinze anunciam as medidas

Os produtores de maça terão a disposição recursos para apoiar a comercialização da fruta, por meio de crédito para estocagem - FEE - ou aquisição - FGPP. O prazo é de 180 dias com taxas de até 112.75% ao ano. Teto de financiamento é de R$ 4,5 milhões por produtor nas operações de estocagem e de R$ 40 milhões por agroindústria nas operações de aquisição.

“Uma boa notícia para os produtores, que devem agora procurar as agências bancárias para efetivar a prorrogação, no caso do arroz, e para acessar a linha especial, no caso dos produtores de maçã. Assim, esperamos que os produtores tenham um tempo maior para comercializar os produtos e, assim, o preço se recupere”, comemora o deputado Heinze.

As normas, até o momento, só atendem produtores que financiaram no Banco do Brasil.