Cerca de 2,3 mil creches foram contratadas e estão com obras paralisadas desde de 2014. Deputado cobra solução para o problema

Em busca de uma resolução para o problema das creches do programa Proinfância que se arrasta há quase quatro anos, o deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) denunciou, nesta terça-feira, 13 de junho, à Subprocuradora Geral da República, Denise Vinci Túlio, o abandono das obras em mais de 2,3 mil escolas infantis em todo o país - 238 somente no Rio Grande do Sul - com um prejuízo estimado em mais de R$ 3 bilhões. 

Em vídeo: Heinze comenta denúncia apresentada a PGR 

Nos últimos quatro anos, apenas quatro creches foram concluídas no estado gaúcho pela construtora MVC Componentes Plásticos Ltda, contratada pelo governo petista. A expectativa era de que 208 empreendimentos, dos 238 contratados, fossem entregues em 102 municípios gaúchos. Três anos depois, nenhum dos objetivos foi cumprido. Muitas prefeituras tiveram que assumir o ônus de proteção das obras e dos materiais expostos, gerando custos adicionais, inclusive ao erário municipal. 

“Fiz a denúncia e cobrei a adoção de medidas necessárias para conclusão das escolas dentro de critérios e padrões que se encaixem na realidade financeira dos municípios brasileiros. O que não pode é permanecer a atual situação que configura claro desperdício de dinheiro público” afirma Heinze.

Dedicado em solucionar o impasse desde 2014, o deputado Heinze realiza, quase que semanalmente, reuniões com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE e com o Tribunal de Contas da União – TCU. “Esperamos que com a denúncia, a PGR possa apurar os crimes existentes nesse processo. Enquanto isso, trabalhamos em outras frentes, junto ao TCU, às prefeituras e ao FNDE para que questões jurídicas e burocráticas sejam acertadas e que os recursos já liberados em muitos casos, sejam aplicados nos empreendimentos que vão beneficiar mais de 20 mil crianças só no Rio Grande do Sul”, expõe Heinze.