Em audiência pública realizada ontem, em Brasília, o ministro dos transportes, Paulo Sérgio Passos, assumiu o compromisso com a bancada gaúcha de agilizar a realização de estudos técnicos para a construção de três novas pontes internacionais ligando o Brasil à Argentina. Autor da solicitação do encontro, o deputado federal Luis Carlos Heinze (PP-RS) destaca que as análises de viabilidade econômica e ambiental para os projetos que envolvem os municípios de Itaqui, Porto Mauá e Porto Xavier devem ser concluídas até dezembro deste ano.

Enquanto isso, o parlamentar pretende formar um grupo de apoio junto aos prefeitos das cidades para que os projetos sejam levados até as bancadas das províncias argentinas de Corrientes e Missiones. A ideia é pressionar a realização das obras também em território argentino. Heinze recorda que o Brasil se responsabilizou sozinho por uma nova ponte em Foz do Iguaçú. Já a Argentina, por sua vez, também lidera duas ligações com o Paraguai. “Por que não podemos dividir a conta com os nossos vizinhos? É possível que Buenos Aires tenha o interesse em participar dos projetos. Precisamos definir essas etapas de participação entre os países”, afirma.

De acordo com o deputado, as três construções demandariam investimentos estimados em cerca de R$ 100 milhões. O coordenador da bancada gaúcha na Câmara, o deputado Ronaldo Zulke (PT-RS), acredita que o Itamaraty deva ser acionado para costurar o acordo bilateral entre os países. “A audiência foi positiva para que pudéssemos dar um melhor encaminhamento aos projetos. O ministro se mostrou inteiramente favorável à construção das três pontes previstas”, comenta.

Durante o encontro, o traçado da Ferrovia Norte-Sul (até o porto de Rio Grande, e a efetivação do Tronco Principal Sul) também esteve na pauta. A meta é que os estudos para os trechos entre o município de Chapecó, em Santa Catarina, e o Porto de Rio Grande sejam concluídos em outubro, viabilizando assim o início do processo de licitação. No Rio Grande do Sul, a ferrovia ainda pode passar por cidades como Erechim, Passo Fundo, Roca Salles, Triunfo, Camaquã e Pelotas. Havia uma expectativa de que o traçado pudesse ser ampliado até Uruguaiana, mas, de acordo com Zulke, a prioridade é a definição dos lotes cabíveis ao Estado.

Fonte: Jornal do Comércio