BRASÍLIA (Reuters) - A sessão plenária da Câmara dos Deputados que votará a reforma do Código Florestal nesta quarta-feira foi suspensa para que o relator da proposta, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), conclua a redação do texto final e apresente aos demais parlamentares.

Desde as 10h os parlamentares se revezaram na tribuna para debater o tema, mesmo sem haver uma definição sobre todos os pontos do relatório de Rebelo. Inicialmente, a sessão foi suspensa por meia hora, mas esse prazo pode ser um pouco maior dependendo das negociações que estão em andamento.

Uma última reunião entre líderes dos partidos e o deputado Rebelo está em curso e no ponto mais polêmico da proposta até agora há possibilidade de construção de um acordo entre as legendas aliadas ao governo, apesar de ainda haver insatisfações dentro da bancada ruralista.

O acordo, que ainda está na costura final e sendo redigido por Rebelo, e portanto pode sofrer alterações, prevê que as áreas de preservação permanente (APPs) que já estiverem sendo exploradas serão objeto de regulamentação por meio de um decreto presidencial, segundo relato do deputado ligado à bancada ruralista, Luiz Carlos Heinze (PP-RS).

Essa possibilidade era rejeitada pela maioria da bancada ruralista até o início da tarde desta quarta, mas os esforços de negociação do Executivo têm surtido efeito.