O Ministério da Agricultura (Mapa) começa hoje a avaliar pedido dos produtores de arroz para estender o prazo de adesão ao Produsa emergencial. A linha foi disponibilizada aos orizicultores que tiveram as lavouras destruídas pelas chuvas de 2009 e de 2010. No entanto, o prazo encerrou em 30 de março e muitos produtores não puderam fazer o contrato porque houve demora na emissão do licenciamento ambiental. O setor pede, no mínimo, mais 180 dias. "Cobramos o fim da exigência.

No entanto, a legislação não permitiu e, com a demanda, muitos não conseguiram a declaração a tempo", destaca o deputado Luis Carlos Heinze. O secretário de Política Agrícola do Mapa, Edilson Guimarães, informa que o pedido foi recebido, assim como a demanda de prorrogação do pagamento do EGF para outubro, mas devido à viagem do ministro à China, o encaminhamento será a partir de hoje. "Tudo será avaliado."