Expectativa dos ruralistas é que relatório seja votado ainda no mês de abril

A mobilização dos produtores rurais em Brasília deve reunir cerca de 20 mil agricultores de todo o país nesta terça-feira para pressionar o Congresso Nacional na aprovação do relatório do deputado Aldo Rebelo (PCdoB/SP) em relação ao Código Florestal Brasileiro. Eles pedem a modernização da legislação ambiental para dar segurança à produção.

Estão previstos pronunciamentos de parlamentares e dirigentes do setor, abraço simbólico ao congresso e visita aos deputados. O Rio Grande do Sul deve contar com uma delegação de, no máximo, 500 pessoas.

Segundo o diretor da Farsul, Francisco Schardong, a distância e a época de colheita inviabilizaram uma participação maior. Mas ele afirma que o Estado terá uma representação forte de diversos setores da sociedade.

- O interesse não é só do campo. Os reflexos da Reserva Legal na economia do Rio Grande do Sul são muito grandes. Todos estão cientes do que isto representa para nós - reforça.

O deputado federal Luiz Carlos Heinze (PP/RS) informa que o grupo de conciliação, que foi criado para adequar o texto de atualização do Código, está quase finalizando uma proposta que agrade ruralistas e ambientalistas. O parlamentar espera que a votação seja realizada nas próximas semanas.

- Esperamos que, nesta terça-feira, o presidente da Câmara, Marco Maia, coloque isto na pauta, e depois esperamos uma ou duas semanas para que consigamos votar esta matéria. É o trabalho que estamos fazendo e a pressão sobre Brasília é muito importante - avalia.

Entre os pontos de discordância, o deputado salienta que, em relação à reserva legal, tanto para áreas de até quatro módulos e as acima deste limite, o assunto já foi resolvido no projeto. Ele acredita que ainda é preciso chegar a um consenso nos debates que dizem respeito as Áreas de Preservação Permanente no entorno de açudes e sangas.